MARCHA DAS MARGARIDAS
Culpado! Tribunal das Mulheres em Resistência da 7ª Marcha das Margaridas condena o Estado Brasileiro
05 de setembro de 2023 ás 16:49:03


Foto: Centro Feminista 8 de Março

A 7ª Marcha das Margaridas teve entre suas diversas atividades o “Tribunal das Mulheres em Resistência”, que se propôs a ser a simulação de um julgamento sob a perspectiva das mulheres do campo, da floresta e das águas em defesa da autodeterminação dos povos e da soberania alimentar, hídrica e energética. A acusação se deu a partir dos testemunhos de sete mulheres de distintas partes do Brasil, que contaram aos presentes os desafios que elas enfrentam em seus territórios. Já o júri também foi composto por mulheres da área jurídica e do parlamento, familiarizadas com as pautas sociais feministas.

O Tribunal das Mulheres em Resistência foi organizado pela CONTAG juntos às organizações parceiras da Marcha: Mulheres da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), Articulação de Mulheres Brasileiras – (AMB), Marcha Mundial das Mulheres (MMM), Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB), Movimento Interestadual de Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), Movimento Articulado de Mulheres da Amazônia (MAMA) e Polo da Borborema. Os testemunhos vieram de mulheres ligadas a esses movimentos.

Frente aos relatos das mulheres, em geral de acusação de omissão e inércia do Estado na resolução de problemas socioambientais e econômicos, e por muitas vezes de violação de direitos humanos fundamentais, o veredito final foi: O Estado brasileiro é culpado!

O júri declarou este veredito após analisar todas as situações relatadas e compreender que muitas delas são causadas por falta de ação do Estado, seja no planejamento e implementação de políticas públicas importantes, seja na aprovação de políticas que violentam a natureza e as comunidades periféricas, e em tantas outras incoerências sociais vivenciadas todos os dias pela população, em especial pelas mulheres.

“Ecoamos as vozes das mulheres e reafirmamos os verdadeiros réus, o Estado brasileiro, que fere o ventre da terra. Consideramos culpado o Estado brasileiro e estamos aqui para criar um outro processo da vida”, afirma o veredito do júri do Tribunal das Mulheres em Resistência.

Veja o veredito completo e os nomes de todas as mulheres envolvidas neste ato simbólico no documento abaixo:

Tribunal das Mulheres em Resistência

Outras Notícias

Mais Notícias